Unesco se prepara a reconhecer como “património mundial da humanidade o Caminho da Sagrada Família

ÁFRICA /EGITO - A Unesco proclamará património mundial da humanidade o “Caminho da Sagrada Família”

Cairo (Agência Fides) - “A Unesco se prepara a reconhecer como “património mundial da humanidade o Caminho da Sagrada Família, o itinerário que une os lugares atravessados segundo tradições milenarias de Maria, José e o Menino Jesus quando encontraram refugio no Egito para fugir de Herodes. Quem informa a media nacional é Adel al Gindy, diretor geral das relações internacionais da Autoridade para o desenvolvimento do turismo egípcio. 

Os responsáveis das politicas egípcias para o turismo estão há tempos apostando no Caminho da Sagrada Família como itinerário a ser proposto às agencias especializadas na organização de peregrinações cristas e consideram que também o reconhecimento da Unesco pode favorecer o aumento de fluxos de peregrinos. 
Também a recente visita do Papa Francisco ao Egito (28/29 de abril) foi acolhida pelos responsáveis políticos do turismo egípcio como uma ocasião para repropor o grande país norte-africano como uma possível meta de peregrinação de cristãos de todo o mundo, nos passos da Sagrada Família. O Papa Francisco, nos discursos proferidos durante la visita, fez varias referencias à hospitalidade oferecida pelo Egito ao Menino Jesus, José e Maria, forçados ao exilio. 

Antes da visita papal, Nader Guirguis, membro de uma Comissão ministerial especialmente constituída para relançar o Caminho da Sagrada Família, fez também uma referencia a hipóteses históricas baseadas na narração dos Evangelhos, segundo as quais a permanência no Egito da Sagrada Família pode ter-se prolongado por alguns anos. Em 9 de maio passado, menos de duas semanas depois da visita do Papa, o ministro do Turismo egípcio, Yahiya Rashid, esteve também no Vaticano apresentando o programa da viagem da Sagrada Família. A este respeito, a media egípcia informa sobre contatos empreendidos entre as entidades do turismo egípcio e a Obra Romana de Pereginaçoes. 

Os responsáveis do turismo egípcio querem, desta forma, compensar pelo menos parcialmente, as grandes perdas da industria turística nacional causada pelo terrorismo e pela instabilidade que domina toda a região. O objetivo é inserir também as peregrinações a lugares tradicionalmente ligados à passagem da Sagrada Família está no centro de propostas e debates que envolvem políticos e agentes egípcios de turismo. As primeiras propostas de valorização em chave politica, do Caminho da Sagrada Família, remontam a vinte anos atras. (GV) (Agência Fides 17/5/2017)


Obrigado por compartilhar esta postagem em sua rede social.